De Malas Prontas, por Eleonora Mendonça {último}

Olá pessoal! Ça va bien?

Então, vocês devem estar pensando o que é que essa maluca está fazendo por aqui depois de tanto tempo sem aparecer? Pois bem, eu vim me explicar. Voltei da viagem, lá de Lyon, e precisei de um tempinho para colocar minha vida em dia – reorganizar a rotina e a faculdade. E agora venho fazer um resumão para vocês e fechar essa “editoria” de “De Malas Prontas”. Voilà !
Todo mundo sabe que uma viagem é muito mais do que fazer as malas, programar passeios e ficar sonhando com os lugares bonitos que se vai conhecer. Mas é só mesmo sentindo na pele para entender os sentimentos que passam na cabeça e no coração. A saudades de casa e a felicidade pelas novidades fazem parte dessas emoções, as vezes bem contraditórias. 
De toute façon, foi adorável poder conhecer um pedacinho do mundo, deparar-se com modos diferentes de agir e de encarar a vida. Não gosto muito de generalizar, mas arrisco dizer que os franceses são muito polidos e humildes. Vale muito mais guardar o dinheiro para viajar no fim do mês, do que torrar tudo no shopping. Um bom vinho e alguns cortes de queijo fazem uma reunião bacana. O carro não tem que ser o maior, cheio de funções. Basta caber na vaga. Quanto à moda: eles são super elegantes. As peças de roupa combinam de uma forma que não é assim tão fácil de copiar. Cada um tem um estilo muito pronunciado e próprio. As pessoas imprimem sua personalidade em cada detalhe da vestimenta – um brilho na bota, um lenço, a “dobrinha” na calça.
Bom, e a língua ? Com ela fico cada vez mais encantada (e já com saudades). É uma delícia a maneira como o francês pronuncia as palavras. Elas tem interpretações e gestos específicos, são charmosas. Ver um pequeno pedindo “pardon” ou dando “bonjour” é de amolecer o coração de qualquer um. 
De amolecer o coração também são as cidades francesas que visitei. Pude conhecer um pouquinho do frescor, da leveza e da beleza de cada uma delas. 
E todas essas lembranças só me deixam com mais vontade de voltar e conhecer tudo novamente, reconhecer, conhecer outros lugares. Quem sabe não seja logo?! Fica, com certeza, para o próximo “De Malas Prontas”. 
E falando na tag, quero agradecer essa fofa da Mari Baú que abriu um espaço nesse blog super “mignon” para que eu pudesse escrever meus devaneios e compartilhar algumas ideias. O espaço está lindo, o conteúdo sempre feito com muito carinho, très chic. Parabéns amiga !
Obrigada também à você que acompanhou cada post dessa série. Sem você não estaríamos por aqui. 
Bisous et à bientot !
——
Eleonora, sua linda! Obrigada pela contribuição, por cada post feito com imenso carinho e dedicação… você sabe o quanto eu te quero bem, né? Agora quero que saiba o quanto o blog te agradece por suas palavras de apoio e incentivo e, principalmente, por ter aceitado fazer parte dessa loucura comigo! Cada sentimento que você passou por lá, foi sentido e vivido por nós aqui, pode ter certeza! Sua coluna irá fazer muita falta por aqui, viu?
Volte sempre, a casa também é sua! hahaha <3
Vocês, leitores, gostaram dessa participação da Eleonora aqui no blog? Nós sabemos que foi um pouco tumultuada, cheia de imprevistos, que nem tudo saiu conforme o planejado… mas foi uma experiência enriquecedora para todos nós, né? Deixem aqui nos comentários a opinião de vocês sobre o “De Malas Prontas”! Nós vamos amar ler…
Beijos,
Mari

De Malas Prontas, por Eleonora Mendonça {16}

Coucou !
O post da semana é sobre uma revista de moda que eu achei na França. Ela é gratuita e semanal. A parceria entre a ShortList Media e a Marie Claire é distribuída em Paris, Lille, Marseille, Lyon, Bordeaux, Toulouse, Strasbourg, Nantes e Nice e também é possível ler a revista na versão online.

stylist 1.jpg

A proposta da Stylist é, segundo eles, romper com os códigos tradicionais da imprensa feminina e passar longe da divisão homem x mulher.
“Convencidos de que o luxo não é mais a prerrogativa de uma elite tradicional, mas sim um estilo de vida que vai para a rua e se atrevem à mistura de estilos, Stylist oferece moda, beleza e uma forte direção de arte (…)”

stylist 2.jpg

O que eu, pessoalmente, achei interessante é poder receber a Stylist de graça enquanto espero o tramway. Não é de todo comum achar uma publicação desse ramo sem um precinho…

Agora, tem toda a discussão da “gratuidade” no jornalismo e a questão da qualidade que vem junto. (Dá para produzir bom conteúdo sem cobrar? Até que ponto os anúncios conseguem cobrir as necessidades de uma redação? Como são reconhecidos esses profissionais?) Mas vamos deixar cada leitor/leitora tirar suas próprias conclusões sobre essa revista em particular, ok?. 

A proposta é bem bacana, que tal conferir algumas capas e depois dar uma olhadinha diretamente no site? Para conhecer a Stylist, basta entrar em www.stylist.fr.
Bisous bisous !
——
Oi gente, Mari aqui!
Muito legal saber que a França abre espaço para uma publicação de qualidade sobre moda, que ainda é distribuída gratuitamente nas ruas, não é? É um incentivo e tanto para a disseminação de conteúdo!
Agora, uma outra curiosidade sobre a Stylist é o fato dela só ser distribuída para as pessoas que estão bem vestidas, sabiam? Sim, são gratuitas mas não são todos os passantes que têm acesso à ela! É preciso, segundo essa matéria aqui, “que seu visual seja “descolado”, “chique”, “jovem” ou tenha uma “vibração rica””. Bastante polêmico, né? Mas, mesmo com esse método, a publicação distribui 400 mil exemplares entre as 10 cidades francesas, tem versões na Inglaterra e Emirados Árabes e, ainda, possui entre seus anunciantes as grifes Kenzo, Lancôme e Dior!